A Serasa Experian divulgou na última terça-feira (22), o recuo de 0,3% do Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica  (PIB Mensal), no mês de maio/14 em relação a abril/14, levando-se em consideração os devidos ajustes sazonais. Em relação ao mesmo mês do ano passado (maio/13), o recuo da atividade econômica foi de 0,1%. No acumulado do ano, a atividade econômica desacelerou de uma alta de 1,4% em abril/14 para 1,1% em maio/14.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o baixo dinamismo da atividade econômica é reflexo não apenas da política monetária mais apertada (juros elevados) para combater a inflação, mas também do baixo grau de confiança de consumidores e empresários quanto à evolução das condições econômicas prospectivas, o que acaba inibindo investimentos por parte das empresas, bem como a disposição em ampliar o endividamento por parte dos consumidores.

Pelo lado da oferta agregada, houve recuo de 1,6% na atividade agropecuária em maio/14, seguido de queda de 0,2% da atividade industrial. Vale ressaltar que no acumulado do ano (janeiro/14 a maio/14), o setor industrial mostrou queda de 1,1%. Apenas o setor de serviços registrou crescimento da atividade em maio/14, porém de forma bastante modesta: apenas 0,2%.

Do ponto de vista da demanda agregada, o consumo das famílias avançou apenas 0,2% em maio/14 na comparação com abril/14. Já o consumo do governo teve comportamento um pouco melhor: alta de 0,6%. Os investimentos praticamente ficaram estagnados em maio/14, mas na relação com maio de 2013, apresentaram queda de 6,8% (4,8% no acumulado de janeiro/14 a maio/14). O melhor desempenho em maio/14 ficou por conta das exportações, que avançaram 0,7% contra abril/14. Já as importações também cresceram em maio/14: 0,5% contra abril/14.

Artigos relacionados:

Crescimento do empréstimo consignado em maio

Bradesco lança a carteira digital b.wallet

Solução de formalização eletrônica revoluciona setor financeiro

 

 

 

Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO