O relacionamento entre os consumidores americanos e os seus bancos está em um período de turbulência trazida pelo ritmo acelerado da inovação tecnológica. Os bancos físicos estão perdendo relevância entre os consumidores – especialmente a geração y.

Os bancos enfrentam iminente concorrência de gigantes da tecnologia como o “Square”, “PayPal”, “Apple” e “Google”. Para permanecer relevante, os bancos terão de repensar os canais através dos quais eles atingem seus clientes e os serviços que eles fornecem a eles.

mobile_banking

O novo relatório do BI Intelligence analisou como os hábitos bancários dos consumidores mudaram, como os bancos de varejo foram afetados e explorou uma série de ações que os bancos podem fazer para se manter à frente da curva.

Em todo o mundo, o mobile banking é agora mais popular com os clientes dos bancos do que a visita às agências físicas. Cinquenta e sete por cento dos clientes utilizam os serviços bancários on-line semanalmente, enquanto que quase um quarto (25%) utiliza os serviços bancários pelo celular semanalmente ( 9 pontos percentuais a cima em relação à 2013). Apenas 14% visita uma agência bancária toda semana. A utilização do celular está mudando completamente a relação cliente-banco.

Nos três maiores bancos dos Estados Unidos, cerca de metade de todos os clientes on-line também utilizam o mobile banking. Agora que os usuários mobile ativos atingiram cerca de 50% dos clientes on-line, o crescimento na adoção dos serviços bancários pelo celular será devagar, seguindo as típicas tendências de adoção da tecnologia.

customers_bank

 

A próxima geração de consumidores bancários são menos satisfeitos com seus bancos do que os grupos etários mais velhos e estão dispostos a depositar junto a instituições financeiras não-tradicionais.


Oferecendo serviços mobile, como depósitos de cheques pelo celular, é o mínimo que o banco pode fazer para se manter na revolução do setor bancário e atrair clientes interessados ​​em tecnologia. Há também oportunidades em pagamentos na forma de carteiras móveis, wearables “tecnologias vestíveis”, pagamentos de peer-to-peer ( Bitcoins) e transferências internacionais (remittances).

Fonte: Business Insider


Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO