As fraudes nas instituições financeiras sempre estiveram presentes na atuação destas corporações. Antes, a preocupação era mais localizada: como as transações eram exclusivamente físicas, o cuidado precisava ser intenso, mas menos abrangente.

No entanto, com o avanço da tecnologia e a popularização do internet banking, isso mudou. Logo, a existência do multicanal aumentou o número de fraudes de maneira significativa. Se o número de fraudes aumentou, também é necessário aumentar o investimento em prevenção para evitar prejuízos a essas instituições — e, nisso, a tecnologia pode ajudar.

Pensando nesse cenário, entenda, no post de hoje, um pouco mais sobre o panorama das fraudes nas instituições financeiras e conheça quais são as soluções que vêm sendo adotadas.

O crescimento das fraudes nas instituições financeiras

Em 2011, a Polícia Federal estimou que ocorriam cerca 2,4 mil de fraudes virtuais contra bancos diariamente. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (Cert), entre 2013 e 2014 o crescimento de fraudes virtuais aumentou 5 vezes.

Há também relatos relacionados a fraudes com boletos bancários, em que tudo parece legítimo, mas o pagamento que deveria ser para uma instituição cai na mão de criminosos.

Isso se deve parcialmente ao aumento do volume de transações bancárias feitas de maneira on-line, mas também a uma relativa falta de estrutura por parte dessas instituições.

De acordo com o Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (IBRACON), o número de fraudes pode ser ainda maior dentro de um cenário de crise. Em 2015, por exemplo, um estudo da Kroll mostrou que 77% das empresas sofreram ao menos um tipo de fraude.

Com isso, é cada vez mais necessária a preocupação das instituições financeiras em garantirem transações de segurança para ambas as partes.

Os benefícios da prevenção de fraudes

Ter cuidados para prevenir fraudes nas instituições financeiras é importante, pois é uma forma de evitar prejuízos. Quando a Instituição Financeira não se preocupa com esse tipo de segurança, o resultado é que ela pode encarar prejuízos volumosos na casa dos milhões.

Neste momento, os bancos e startups estão realizando a abertura de contas através da internet e por aplicativos. Não se preocupar com mecanismos para combater as fraudes, desde o momento da abertura da conta, poderá por em risco as operações futuras, como por exemplo a oferta de um empréstimo.

A falta de proteção também traz riscos para a instituição, que pode se tornar judicialmente responsável por prejuízos de clientes. Além disso, a falta de segurança gera prejuízos para a credibilidade e para as operações como um todo.

Investir em soluções de prevenção, portanto, impede prejuízos e responsabilizações criminais, além de melhorar a imagem da instituição perante os clientes.

As formas de prevenir as fraudes nas instituições financeiras

Inicialmente, é necessário que os clientes sejam conscientizados sobre o uso adequado dos recursos virtuais para operações financeiras. A conscientização do usuário, portanto, é um passo importante para diminuir a ocorrência de fraudes, mas não é suficiente para prevenir situações como essa. Fraudes nas agências ou por meio dos correspondentes bancários também são realidade e podem ser prevenidos. Nesse cenário, são necessários recursos como:

Big Data

O Big Data consiste em coletar um imenso número de informações sobre o negócio que, inicialmente, parecem não ter relação. Mediante análise, é possível encontrar relações, tendências e padrões que indiquem determinados comportamentos.

Para as instituições financeiras, o uso de Big Data é muito importante para que haja uma análise completa das diferentes informações envolvidas nas transações virtuais. Com essa análise feita da maneira correta, a identificação de fraudes acontece de maneira mais fácil e mais assertiva de modo a evitar prejuízos maiores.

Se um dado de transação se mostra fora do padrão considerado seguro, por exemplo, a instituição pode intervir para fazer uma análise mais aprofundada da legitimidade de operação.

Soluções capazes de detectar fraudes através do comprovante de residência já são realidade. Muitos fraudadores utilizam o mesmo comprovante de residência, alterando somente o endereço e o nome. Esta alteração é muito difícil de ser detectada, pois as propostas passam por uma equipe e identificar os padrões de semelhança em um volume alto é quase impossível. Conheça a solução Atomics Beta.

Cartões virtuais

Uma nova tendência consiste na geração de cartões virtuais. Esses cartões possuem prazo de expiração bem curto e servem apenas para uma única compra. O cliente que deseja comprar em um e-commerce, por exemplo, gera um cartão na hora do pagamento, insere os dados e finaliza o processo.

Depois do período, o cartão não tem mais validade e, portanto, não pode ser utilizado para ações fraudulentas. Embora aumente a necessidade de robustez e estrutura da instituição, é uma medida eficiente para gerar a segurança necessária para as operações.

Múltiplas camadas de segurança

Atualmente, o maior desafio das instituições financeiras é garantir uma proteção em múltiplas camadas no mobile banking de modo a dificultar o acesso não autorizado e transações fraudulentas.

Se antes o uso do aplicativo e da senha era suficiente para garantir a proteção, hoje é preciso envolver relações muito mais complexas. Criptografia de dados, biometria e identificação de localização da transação compõem apenas uma possibilidade de conjunto de camadas para garantir a proteção em transações.

Há também o envio de códigos para dispositivos previamente cadastrados e outras soluções que, quando adotas conjuntamente, tornam mais difícil realizar fraudes nas instituições financeiras.

Evolução do TI

A computação na nuvem ainda representa um desafio para as instituições financeiras, já que é preciso transpor uma série de barreiras relativas à segurança. Para contornar essa dificuldade, existe uma tendência de evolução de TI de incorporar novas tecnologias, de maneira segura e totalmente conveniente.

Com isso, é preciso que as instituições financeiras estejam abertas a incorporar novas tecnologias para garantir que haja uma proteção efetiva e dinâmica contra um cenário de ameaças.

Confira uma parte da palestra do engenheiro de segurança da IBM, no CIAB 2016, sobre este assunto:

 

Biometria

Com a tecnologia fazendo cada vez mais parte das operações financeiras, a biometria também aparece como uma opção para instituições financeiras. O sistema biométrico é complementar às soluções de fraude e pode ser utilizado para fotos ou digitais e também para reconhecimento ou identificação.

Esse sistema é compatível com diferentes scanners e permite que a instituição financeira se proteja contra acessos desautorizados por parte dos clientes, por exemplo. Além de consultar uma base de dados para verificar se a foto é de um fraudador.

As fraudes nas instituições financeiras vêm aumentando com o uso cada vez maior da internet nas movimentações. Para conter esse avanço, são adotadas cada vez mais soluções viáveis de prevenção, que vão desde o uso de múltiplas camadas de segurança e cartões virtuais até o uso de Big Data para uma identificação preventiva de fraudes e suas tentativas. Dessa forma, as instituições têm se tornado mais protegidas contra esse tipo de ação de modo a criar um ambiente mais seguro para seus clientes.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para deixar a sua opinião nos comentários sobre a segurança e a ocorrência de fraudes em instituições financeiras, bem como o que poderia ser feito para preveni-las!

 


Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO