A inovação e a tecnologia estão cada dia mais presentes em nossas rotinas. Os smartphones já são companheiros inseparáveis de muitas pessoas e a tendência é que essa realidade avance cada dia mais no sentido de surgirem novas tecnologias que visem facilitar a nossa vida. Nessa linha, já existem dois grandes exemplos que são o Digital Wallet e a Internet das Coisas (IoT).

No presente artigo, apresentaremos os conceitos dessas duas soluções tecnológicas, além de mostrar a relevância do uso destas tecnologias no setor bancário.

Os conceitos de Digital Wallet e Internet das Coisas

 

Internet das Coisas

A Internet das Coisas nada mais é do que uma revolução tecnológica que visa conectar aparelhos eletrônicos comuns do nosso dia a dia à internet. Você poderá até pensar que isso não é uma novidade, uma vez que hoje já é possível acionar o ar-condicionado de casa quando saímos do trabalho, via smartphone, por exemplo.

De fato, essa tecnologia não surgiu tão recentemente, mas em 1991. Contudo, somente agora está sendo massificada e se tornou algo mais comum à rotina das pessoas. Hoje, é muito mais fácil ligar os objetos de aparelhos utilizados no dia a dia a redes de internet.

Cada dia é mais comum encontrar objetos de casa e até acessórios (Google Glass é um exemplo) conectados à internet. Com isso, o mundo físico e o mundo digital estão se aproximando cada dia mais e se tornando um todo único.

Digital Wallet

O Digital Wallet por sua vez é como se fosse uma carteira, igual àquela que você usa para guardar seu dinheiro, seu cartão de crédito e documentos. A diferença entre uma e outra é que, enquanto a segunda é física, a primeira é totalmente virtual. E, ainda, a primeira está vindo com toda força para substituir a segunda.

Através do Digital Wallet você não precisará mais tirar o cartão da carteira e inserir o cartão de crédito em uma máquina. Com as carteiras digitais, é possível usar o telefone, com um aplicativo correspondente para efetuar qualquer transação.

A tecnologia utilizada permite que você simplesmente aproxime ou acene o celular em um terminal e pronto, a conta já está paga. Parece futurista demais para você? Acredite, estamos mais próximos dessa realidade do que você pode imaginar.

A tendência no uso destas tecnologias

A tendência é que, cada dia mais, o uso dessas tecnologias se incorpore à rotina dos consumidores, que costumam se adaptar rapidamente e com facilidade às transações bancárias descomplicadas. Um exemplo disso é a praticidade de pagar boletos bancários via smartphone, uma prática cada dia mais rotineira aos consumidores.

O barateamento dos equipamentos e a sua popularização são responsáveis por tornar cada dia mais comum e possível o uso dessas tecnologias.  A IoT é algo tão promissor e realista que hoje movimenta um número cada vez maior de empreendedores, que estão investindo nestas tecnologias para criar produtos e serviços.

O fato de o smartphone ter se tornado o centro de nossas vidas é um exemplo claro dessa revolução tecnológica. O celular, que há poucos anos nem existia, hoje é item indispensável para organização de agenda, contato com os amigos, comunicação e até mesmo item de trabalho.

O futuro prevê que estamos caminhando para uma era na qual a conectividade e as informações estarão embutidas em vários equipamentos e conectadas entre si. A Internet das Coisas é a inteligência digital sendo distribuída, interagindo e onipresente.

A aplicação do Digital Wallet e da IoT nas instituições bancárias

As tecnologias Digital Wallet e IoT revolucionarão drasticamente o setor bancário por oferecer serviços inovadores e que facilitarão a vida dos seus consumidores.

Como já vimos, a IoT já está transformando vários aspectos das nossas vidas e das próprias organizações. E a tendência é que siga revolucionando o trabalho, a produtividade e a forma como consumimos produtos e serviços e até mesmo como levamos nossa própria vida.

Como o segmento bancário tem uma necessidade de estar sempre inovando, ele será um dos primeiros a sentir os efeitos e colocar em prática a realidade do Digital Wallet e da Internet das Coisas. O processo de transformação permitirá aos bancos o crescimento da base de clientes, o fortalecimento do seu posicionamento do mercado, a qualificação e excelência dos serviços prestados. A evolução transformará os serviços financeiros no sentido de uma aproximação maior da instituição dos clientes.

Em pesquisa feita pela TCS – Tata Consultancy Services, as corporações desse segmento já reportaram investimentos de US$ 117,4 milhões, no ano passado, e planejam elevar o montante para US$ 153,5 milhões em 2018.

O principal foco de investimentos em 2015 foi o monitoramento de produtos e serviços financeiros (responsável por 32% do budget). No entanto, o foco dos bancos será o monitoramento de clientes, que hoje é responsável por 30% da fatia, mas em 2020 deve crescer para 34%, segundo a pesquisa.

Entre as iniciativas mais populares da IoT estão os aplicativos móveis, com 65% de adesão nos bancos e os wearables, presentes em 16% das instituições financeiras entrevistados.

As previsões para instituições bancárias

Trazemos aqui uma série de previsões para o futuro das instituições bancárias, quando o assunto é tecnologia. Uma dessas evoluções é o mobile banking/payment. Nessa linha, a Apple já saiu da frente como o Apple Pay que é uma forma de pagamento de contas através de um aplicativo instalado no celular. Hoje, mais de 60 bancos nos Estados Unidos e Canadá integram esse sistema de pagamento da Apple.

Outra evolução que em breve fará parte das nossas vidas é o “carro conectado”, uma alternativa para quem não quer descer do seu carro para pagar a conta do abastecimento. A empresa Mastercard já está testando operações desse tipo. Essa forma de pagamento é utilizada em carros conectados (olha a IoT aí!) e visa a melhoria na experiência de conduzi-los.

Outra evolução serão os caixas eletrônicos, com o incremento da evolução digital, serão dadas novas funcionalidades para os equipamentos. Bancos dos Estados Unidos já estão investindo em opções de caixas eletrônicos mais intuitivos e tecnológicos, com novas opções para os clientes, inclusive conectados a tablets, com leitura biométrica e funções mais específicas.

O Bluetooth não ficará de fora dessa evolução, os bancos americanos também já começaram a utilizar essa tecnologia para a personalização dos seus atendimentos e para facilitar o acesso à informação.

Pagamentos e tecnologia vestível é outra evolução que já está dando passos largos em direção à nossa realidade. Os cartões de pagamento começarão a ser substituídos por celulares (o que já está acontecendo) e, em longo prazo, estarão inseridos em relógios, casacos, etc. Você poderá acessar suas informações bancárias ou até mesmo fazer compras através de um relógio por exemplo, sem cartão de crédito ou papel.

O banco Bradesco e a operadora de cartões Visa lançaram este ano, uma pulseira inteligente, que substitui o cartão de débito. Ela funciona com tecnologia NFC (sigla em inglês de comunicação de proximidade) e foi testada no período que antecede os Jogos Olímpicos, a partir de um projeto piloto com cerca de três mil pessoas.

De acordo com o Percival Jatoba, vice-presidente de produtos da Visa Brasil, o cartão de plástico não vai acabar, mas vai ser desconstruído. As transações vão migrar para outras tecnologias.

A tecnologia já é uma realidade e cada dia mais os bancos deverão investir em infraestrutura para acompanhar esse desenvolvimento. Grandes bancos americanos e canadenses já estão bem adiantados, quando o assunto é Digital Wallet e Internet das Coisas.

Portanto, é hora de começar a estudar e conhecer mais essas tecnologias para não ficar por fora das inovações e do mercado. Sair na frente pode fazer toda diferença nesta corrida.  E então, o que você achou de saber mais sobre Digital Wallet e Internet das Coisas? Deixe sua opinião nos comentários!


Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO