Empresa inovadora que ganhou o prêmio Espaço Inovação 2012 cresceu por enxergar os problemas dos clientes como oportunidades para criar soluções

O Grupo Simply cresceu muito desde a sua fundação em 2006, graçasà sua visão sobre como despertar o processo de inovação, etambém àparticipação no Espaço Inovação, iniciada no Ciab Febraban em 2011. Ou seja, a empresa passou a observar os problemas e dificuldades do setor financeiro com o intuito de fornecer soluções que representem um diferencial competitivo ao seus clientes.

“Todas as nossas soluções são criadas a partir de uma necessidade identificada e não atendida”, afirma Roberto Rigotto, diretor executivo do Grupo Simply. “Nosso processo de criação envolve um mergulho na realidade do cliente, ultrapassando aquilo que é obvio e visível, que consideramos apenas como a ponta do iceberg, para então percebermos onde é possível oferecer algo melhor do que já existe no mercado”.

A empresa foi fundada por Rigotto, graduado em Ciência da Computação pela PUC-MG com Pós-Graduação em Redes e Telecomunicações pela UFMG e MBA Executivo em Finanças pelo IBMEC. O empreendedor trabalhou em empresas de tecnologia e software até 2005, quando decidiu fazer algo diferente e criar um novo modelo de negócio na área.

ebook-panorama-mercado-bancario-nacional-internacional

“Percebi que muitas soluções são empacotadas e padronizadas demais”, explica Rigotto. “Estas soluções fornecem controle e permitem que as empresas consigam competir, mas não agregam vantagens ou diferenciais competitivos, que é onde está o foco do Grupo Simply”.

Assim, em 2006, nasceu a nova empresa e o seu primeiro produto foi uma única solução capaz de capturar propostas de negócios de veículos, consignações, cartões e outras modalidades de uma forma simples. “Eu não entendia porque todos [os fornecedores de soluções] complicavam tanto”.

Entre 2006 e 2009, o foco da empresa manteve-se em crescer e estabilizar o produto inicial. Mas já em meados de 2009, Rigotto percebeu que havia um nicho ainda mais promissor que o sistema inicial. “Precisávamos novamente dar um salto e desenvolver soluções que aumentassem a eficiência dos nossos clientes. Assim, partimos para visualizar os grandes problemas do mercado financeiro”.

“Todo grande problema nos interessava”, declara Rigotto. “Foi assim que elegemos, uma a uma, as novas soluções que se tornaram produtos da empresa”. Com esta mentalidade, a companhia se tornou uma sociedade anônima em 2010. “Houve uma profissionalização importante nesta transição”.

Em 2011, participou pela primeira vez do Espaço Inovação Ciab Febraban e, em 2012, ganhou o prêmio de solução mais inovadora. “Foi com uma solução para formalização eletrônica: a DEX, Document Explorer. Neste ano também participamos do Espaço Inovação Futurecom”.

O Espaço Inovação teve papel fundamental na história do Grupo Simply. “Participar do Espaço Inovação foi essencial para validar o trabalho desenvolvido e ouvir o mercado. A oportunidade de exposição da empresa possibilitou realizar networking com fornecedores, parceiros e os clientes que temos hoje”. Além disso, completa Rigotto, o Espaço Inovação garantiu visibilidade à empresa.

A inovação para o Grupo Simply faz parte do seu negócio e, como explica seu diretor executivo, não é composta somente por ações. “Nos preocupamos em desenvolver uma cultura inovadora que contenha as condições, estímulos e indicadores para o acompanhamento e mensuração da inovação, dentro da visão da empresa”.

O processo de inovação do Grupo Simply é constituído por três estágios principais: inspiração, ideação e implementação. Além disso, há quatro fases: descobrimento, definição, desenvolvimento e prototipação. “Trabalhamos com a metodologia Design Thinking”.

A área de inovação da empresa é composta por colaboradores multifuncionais, que além de exercerem suas respectivas funções também são responsáveis por facilitar o processo de inovação da empresa. Ou seja, promovem organização, planejamento e medição das iniciativas de Inovação e Design Thinking, com o compromisso de promover e criar um ambiente para a empresa como um todo inovar e pensar diferente.

O investimento em inovação depende na grande maioria das vezes de recursos da própria empresa. “As propostas que surgem do processo de inovação devem sempre anteder aos três princípios do Grupo Simply: ser simples, aplicada e nova”, relata Rigotto.

“Será simples se traduzir problemas e necessidades complexas, em soluções Simples. Aplicada, quando utilizar a tecnologia para aumentar a produtividade e a eficiência operacional. Com isso, ajudamos nossos clientes a criar diferenciais e ganhar vantagem competitiva em seu Mercado. E, por ultimo, será nova quando criar soluções com inovações e ideias radicais ou mesmo incrementais, que evoluam em relação ao que já existe”.

Além dos critérios, o feeling é fundamental, de acordo com Rigotto, além de manter os ouvidos bem abertos. “O nosso planejamento inclui visita aos nossos clientes, aliás, nossos parceiros! Esta é a fase de descobrimento do nosso Processo de Inovação. Neste momento, a equipe se aproxima do contexto do problema. Incentivamos a realização de visitas para a equipe vivenciar a realidade do mercado financeiro”.

Fonte: ITS

atomics-beta

Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO