Em julho, a carteira do sistema financeiro nacional fechou com saldo de R$ 3,1 trilhões, alta de 0,3% na margem e 9,9% em 12 meses – o que representa 54,5% do PIB. Esse crescimento ainda está compatível com a projeção de 9,0% a.a. para 2015. A carteira de crédito das instituições privadas e estrangeiras apresentaram queda na margem (0,3% e 0,6%, respectivamente), já a das públicas continua trajetória de alta (0,9% na margem e 14,5% a.a.), chegando a 55,3% da carteira total. A taxa de juros média das operações de crédito chegou a 28,4% a.a. – nova máxima da série –, com isso já soma alta de 4,7 p.p. no ano. A inadimplência da carteira apresentou alta de 0,1 p.p., encerrando em 3,0% – mesmo patamar de julho de 2014.

Carteira de Crédito

 

mercado_credito_julho

 

 

O saldo da carteira de crédito do SFN mostrou ligeira recuperação no mês de julho, encerrando com crescimento anual de 9,9% ante 9,8% em junho – 1,2 p.p. abaixo do ano anterior. Esse movimento foi sustentado pelo crescimento da carteira PJ (9,4% a.a.) – sendo 0,5 p.p. acima do verificado em junho e 0,1 p.p. maior que o mesmo período de 2014. Já a carteira PF apresentou arrefecimento de 0,2 p.p., encerrando o mês com crescimento anual de 10,5%.

A carteira com recursos livres (RL) apresentou aceleração no ritmo de crescimento, fechando o mês em 5,2% a.a. ante 4,9% em julho passado. Dentro do segmento, a carteira PJ mostrou o maior
crescimento (5,8% a.a. ante 5,0% em junho). A carteira PF fechou o mês com crescimento de 4,7% em 12 meses – sendo 0,2 p.p. maior que o observado no mês anterior.

Impulsionada principalmente pelo crescimento da carteira BNDES – decorrente da desvalorização cambial no mês –, a carteira com recursos direcionados cresceu 0,8% na margem e 15,3% a.a. – com perda de 4,0 p.p. em relação ao mesmo período do ano anterior. Na abertura, a carteira PJ permaneceu com crescimento de 13,0% anuais e a carteira PF – com perda de 0,9 p.p. no mês – encerrou com crescimento de 18,2% a.a..

Concessão de Crédito

 

concessão_julho

 

 

Em julho, o volume das concessões chegou a R$ 303,8 bilhões. A variação das concessões acumuladas em 12 meses apresentou alta de 0,9% – ficando 0,4 p.p. abaixo de junho e 7,2 p.p. do mesmo período do ano anterior. Esse crescimento segue sustentado pelos RL – 86,9% do total do acumulado das concessões – com variação de 2,2% a.a.. Já o acumulado para RD segue sua trajetória de queda (-6,9% a.a.) que vem desde fevereiro em terreno negativo.

A média diária das concessões da carteira total encerrou o mês com queda de 14,5% na margem e de 1,0% em 12 meses, totalizando R$ 13,2 bilhões – mais uma vez abaixo do mesmo período do ano anterior – seguindo o comportamento sazonal do mês. A média diária para PF foi de R$ 7,2 bilhões – queda de 9,7% na margem e 0,7% a.a.. Já a média diária para PJ apresentou as maiores quedas – 19,7% no mês e 1,3% anual – encerrando junho em R$ 6,0 bilhões.

 

Taxas de Juros

taxas_juros_julho

 

 

A taxa média de juros do SFN fechou julho em 28,4% a.a. – alta de 0,8 p.p. no mês e de 4,7 p.p. no ano – chegando a nova máxima da série histórica desde março de 2011. Com alta de 0,9 p.p. na margem, a taxa para a carteira PF encerrou o mês em 36,3% anuais. Também com alta na margem (0,6 p.p.), a carteira PJ ficou em 19,8% anuais. O mesmo comportamento se deu para os RL e RD, que encerraram o mês com alta de 0,8 p.p. na margem, totalizando 44,2% a.a. e 10,1% a.a., respectivamente. Na abertura dos RL, a taxa teve a maior variação no mês para PF (1,1 p.p.), chegando a 59,5% a.a.. Para os RD, o destaque fica para a alta de 0,7 p.p. na margem para PJ, que encerrou o mês em 10,2% a.a..

Taxa de Captação e Spread

 

 

spread_julho

 

 

O spread médio da carteira total em julho foi de 18,4% a.a. – alta de 0,6 p.p. no mês e 3,5 p.p. no ano – alcançando o maior patamar desde abril de 2012. O spread para a carteira PF acumula alta de 4,6 p.p. no ano, totalizando 26,1% a.a.. O spread PJ – com alta de 0,4 p.p. na margem – encerrou o mês em 10,2% a.a.. Na abertura, a maior alta ficou com RL (0,8 p.p. na margem) que encerrou em 31,4% a.a.. Em menor escala (0,5 p.p.), RD terminou julho em 3,5% a.a.. A taxa de captação média continua movimento de alta, porém, em ritmo mais lento, com isso terminou o mês em 10,0% a.a. – alta de 1,6 p.p. em relação ao mesmo período de 2014. Na abertura da captação em julho, a taxa para os RL se manteve em 12,8% a.a. e para os RD saiu de 6,3% a.a. para 6,6%.

Atrasos e Inadimplência

 

atrasos_julho

 

 

A série com a média móvel em seis meses dos atrasos apresentou alta de 0,1 na margem, totalizando 3,8%. O mesmo movimento foi compartilhado para RL e RD, que encerraram o mês em 4,4% e 3,2%, respectivamente. Considerando a abertura para PF e PJ, a série com a média móvel em seis meses encerrou em 5,4% e 2,2%, respectivamente, queda de 0,2 p.p. para PF e alta de 0,5 p.p. para PJ em relação a julho passado.
Com alta de 0,1 p.p. na margem, a taxa de inadimplência da carteira total fechou o mês de julho em 3,0% – mesmo patamar de julho de 2014. A alta acumulada no ano é de 0,3 p.p.. A taxa para RD ficou em 1,2% – alta de 0,1 na margem e em 12 meses. Já para RL terminou em 4,8% – alta de 0,2 p.p. na margem. Na abertura para PF e PJ, a taxa encerrou o mês em 3,8% e 2,4%, respectivamente.

Prazos e concessões

Em julho, o prazo médio da carteira apresentou alta de um mês, totalizando 48 – alta de 4 em relação ao mesmo período do ano anterior. A carteira PJ permaneceu em 37. Já a carteira PF fechou em 62 ante 61 em junho. A carteira com RL ficou estável em 18, mesmo comportamento para RD, que terminou julho em 74 meses. Por outro lado, o prazo médio para as concessões diminuiu em 3 meses, chegando a 112. Sendo que para RL se manteve em 38 e para RD encerrou julho em 176 meses ante 182 em junho.

 

Fonte: ABBC 

atomics-beta

Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO