O termo mobile banking refere-se à realização de transações bancárias pelo smartphone. Ele e o internet banking são canais digitais bastante utilizados para a esse tipo de operação.

De acordo com pesquisa da Febraban feita em parceria com a Deloitte — considerando informações de 17 bancos, que juntos compõem 91% dos ativos do setor —, o uso de mobile banking superou o internet banking no ano de 2016, alcançando o posto de canal mais utilizado para realização de operações bancárias.

A utilização do mobile banking e internet banking já representa 57% de todas as movimentações financeiras. Esses canais digitais representavam o montante de 52% no ano anterior.

Mobile banking e a virtualização dos serviços bancários

O consumidor mudou junto com a tecnologia. A forma de se comunicar, de comprar e resolver problemas está cada vez mais virtual. Os canais digitais se tornaram um local seguro, rápido e prático para pesquisar e resolver os mais diversos problemas. E o mobile vem ganhando cada vez mais espaço.

De acordo com o diretor da Febraban, Gustavo Fosse, a facilidade em realizar as operações, a percepção de segurança e o barateamento da tecnologia são alguns dos motivos que aumentaram o uso de smartphones nas transações. Hoje, a maioria das pessoas consegue comprar este tipo de celular e ainda realizar tarefas corriqueiras, como pagar um boleto, com muito mais praticidade.

Outro motivo para esse crescimento é a migração de serviços financeiros feitos em caixas eletrônicos. Hoje, na internet, já se pode fazer a maior parte das operações com o menos trabalho e mais segurança. Um ponto chave que faz o mobile banking se destacar frente outros canais são os aplicativos.


Os apps facilitaram e tornaram mais agradável a utilização dos serviços bancários no smartphone, impulsionando o número de consultas e transações. Segundo a pesquisa da Febraban, o total de operações realizadas em mobile banking foi o maior dos últimos 6 anos, representando o marco de 65 bilhões de transações sem movimentação financeira.

Praticidade e mais sintonia com o cliente

Não é porque não há interação física que não existe relacionamento com o cliente. Muito pelo contrário, no mobile banking existe a oportunidade de conversar com o cliente via atendimento dentro do app e também é possível auxiliar o correntista por meio de um assessor financeiro.

Diversas são as opções de estar mais próximo do usurário e entregar soluções para suas reais necessidades.

Oportunidade de crescimento

De acordo com a pesquisa, não chega a 20% o número de correntistas que utilizam mobile banking. Isso quer dizer que dos 239 milhões de contas ativas, somente 42 milhões usam os apps para transações bancárias. Ainda há muito que crescer na área.

Por outro lado, os clientes que já utilizam os apps para as operações, são muito adeptos ao canal, realizando mais de 80% de suas transações pelo celular.

Os bancos que investem em mobile banking conseguem estar mais próximos do cliente, uma vez que buscam sanar suas necessidades e trazer ao dia a dia dos correntistas uma forma mais prática de fazer suas transações. Mais do que nunca, é possível orientar, educar financeiramente e conversar com seu cliente a qualquer hora do dia.

Esse artigo foi interessante para você? Aproveite para nos seguir nas redes sociais e ter acesso a muito mais informações sobre o setor financeiro: estamos no Facebook, LinkedIn e Twitter!

ebook-fintechs

Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO