Com os bancos fechados, alguns gregos estão tentando outras alternativas de comércio. Uma alternativa é a Bitcoin.

Em uma loja de café em uma praia em Atenas está Thanos Marinos. O Grego de aproximadamente quarenta anos se orgulha de ser o primeiro a trazer o bitcoin, uma moeda digital, há um ano para o seu país em dificuldades financeiras.

“Eu não vi como somente um case de negócio naquela época”, diz Marinos. “A razão principal era trazer a consciência sobre o bitcoin e sobre a tecnologia Blockchain para a Grécia.”

A demanda nunca foi tão forte, diz ele, até 500 por cento de aumento em quatro semanas.

Banco-do-Futuro

Quando começa do zero, mesmo um aumento de 500 % “não vai longe”. A Grécia é um país de mais de 10 milhões e uma média de idade de 43,5 anos. Uma pesquisa rápida e não-científica de 10 pessoas na rua mostrou que apenas duas pessoas tinham ouvido falar de bitcoin.

Isso não impediu outras pessoas a entrarem na comunidade. Uma livraria em um subúrbio do noroeste de Atenas é a casa da única ATM de bitcoin do país. Um homem está estocando. Seu nome é Felix Weis, um programador de computador que levou um ano para viajar pelo mundo com uma ressalva: ele só poderia usar bitcoin, e dinheiro como um último recurso.

“Eu precisei fazer isto ,” diz Felix, porque “eu cortei o meu cartão de crédito. Na Grécia, eu estou oferecendo às pessoas 30 % extra para tentar convencê-los a começar a aceitar bitcoins, porque eu realmente acredito nisso.”
Felix tem 27 anos e é de Luxemburgo. Ele saiu de um programa de Ciência da Computação e Economia na Alemanha depois de apenas um ano.

“Eu tenho programado desde que eu era jovem. Eu não estava realmente aprendendo nada de novo. Do lado econômico, eu não acho que os fundamentos estavam certos”, diz ele. “Mas não para tudo.”
Ele tem uma opinião sobre o que deveria acontecer na Grécia também. “É difícil competir na zona euro. Após tudo que se viu na Roménia. Em comparação com o que você vê em Atenas, eles estão fazendo melhor, mesmo que o salário mínimo seja inferior.”

Tudo isso é explicado em uma viagem de táxi para um dos únicos estabelecimentos na Grécia que aceita a bitcoin, um restaurante familiar. Depois de insistir na divisão da tarifa, não há alternativa senão a de abrir uma conta e aceitar £ 3,43.

O restaurante está fechado, mas isto não é um problema para Felix. A comunidade de bitcoin é pequena e ele conhece Nikos Houtas, o filho do proprietário do restaurante, que prepara uma salada para ele. Está tudo pago sem uma moeda ou cartão à vista.

Quatro ou cinco clientes nos últimos dois anos pagaram usando bitcoin, de acordo com Houtas. Se o bitcoin for uma alternativa viável, muitas pessoas irão utilizá-lo em breve.

Por Muhammad Darwish

Fonte: Bloomberg

 

A Simply é uma empresa de Tecnologia e Informação. Criamos diferencial competitivo para o mercado financeiro.

 Clique aqui e conheça as soluções da Simply.

atomics-beta

Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO