Acreditamos que devemos trabalhar para sermos felizes, mas será que poderia ser o contrário? Confira nesta palestra de fala rápida e divertida do TEDxBloomington, o psicólogo Shawn Achor argumentando que, na verdade, a felicidade inspira a produtividade.

“Uma das primeiras coisas que ensinamos nos cursos de economia, estatística, administração e psicologia é como eliminar os esquisitos de uma forma estatisticamente válida. Como eliminamos essas discrepâncias para encontrar a linha de melhor ajuste? O que é fantástico se eu quiser saber quantos Advil uma pessoa comum deveria tomar: dois. Mas se estou interessado no potencial, ou na felicidade, ou na produtividade ou na energia ou na criatividade, estamos criando um culto científico dos medianos.

Descobrimos que a realidade não necessariamente nos molda, mas as lentes pelas quais o cérebro vê o mundo que moldam sua realidade. E se conseguirmos mudar as lentes, não só podemos mudar a felicidade, mas também cada resultado educacional e empresarial, ao mesmo tempo.

Precisamos inverter a fórmula da felicidade e do sucesso. A maior parte das empresas e escolas segue uma fórmula do sucesso, que é: se eu trabalhar mais duro serei mais bem-sucedido. E se eu for mais bem-sucedido, então serei mais feliz. É base para nosso estilo parental, de gestão, e para a maneira como motivamos nosso comportamento.

O problema é que é cientificamente incorreta e retrógrada por duas razões. Primeiro, cada vez que seu cérebro tem um sucesso você acabou de alterar a meta do sucesso. Você teve boas notas, agora precisa de notas melhores, entrou numa boa escola e depois, numa escola melhor, conseguiu um bom emprego, agora, um emprego melhor, atingiu sua meta das vendas, vamos mudar sua meta. Se a felicidade estiver oposta ao sucesso, seu cérebro nunca chega. Nós empurramos a felicidade, além do horizonte cognitivo, como sociedade. É porque pensamos que precisamos ser bem sucedidos, e assim seremos mais felizes.

O problema é que nosso cérebro funciona no sentido oposto. Se elevarmos o positivismo de alguém no presente, seu cérebro vivencia o que chamamos de vantagem da felicidade, ou seja, o cérebro no positivo tem um desempenho significativamente melhor do que no negativo, neutro ou estressado. Sua inteligência, criatividade, seu nível de energia aumentam. De fato, descobrimos que todos os resultados em negócios melhoram. Um cérebro no positivo é 31% mais produtivo que no negativo, neutro ou estressado. Você é 37% melhor nas vendas. Os médicos são 19% mais rápidos e precisos, para identificar o diagnóstico correto quando positivo em vez de negativo, neutro ou estressado. Isso indica que nós podemos inverter a fórmula. Se acharmos um jeito de ficarmos positivos no presente, nossos cérebros funcionariam com mais sucesso ainda pois somos capazes de trabalhar mais, mais rápido e mais inteligentemente.

Assista ao TED e aprenda a treinar o cérebro para sermos pessoas positivas.

Somos uma empresa de Tecnologia e Informação. Criamos diferencial competitivo para o mercado financeiro. Clique aqui e conheça os nossos produtos!

Artigos relacionados:

Inovando em modelo de negócios

 

atomics-beta

Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO