Aproximar ambientes de inovação, como parques tecnológicos e incubadoras de empreendimentos inovadores nascidos no Brasil e no mundo. Essa é a proposta da plataforma Land2Land, nascida da parceria entre a Anprotec e a Apex-Brasil, que selecionaram empresas e ambientes de inovação nacionais e internacionais para criar uma rede colaborativa.

Por meio da plataforma, empresas interessadas em atuar em outros países terão acesso aos serviços oferecidos pelos ambientes de inovação, entre eles, apoio à infraestrutura (uso permanente ou temporário), informações de mercado e sobre programas de financiamento, estratégias de entrada no mercado, aculturamento (apoio para obtenção de visto, formação cultural e acomodação) além dos requisitos legais de cada país.


Lançada oficialmente neste mês, a Land2Land conta atualmente com 32 ambientes de inovação cadastrados, sendo 11 nacionais (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica Fumsoft-BH; Fundação ParqTec- PB, Porto Digital-PE; Coppe-RJ; Tecnopuc-RS; Celta-SC: Inovaparq-SC; Sapiens Parque-SC; Cietec-SP; Supera-SP; Incubadora Tecnológica Agende Guarulhos-SP) e 21 estrangeiros, distribuídos pelos Estados Unidos, Espanha, Inglaterra, Alemanha, Itália, Bélgica, Portugal, México, Índia, Tunísia e Coreia do Sul.

Segundo Tony Chierghini, diretor da Anprotec, além de promover a internacionalização de empreendimentos inovadores, a plataforma garantirá que as empresas integrem ambientes que realmente garantirão condições favoráveis ao seu desenvolvimento. “A plataforma oferece em um só ambiente a facilidade de acesso a uma rede confiável, com possibilidades de buscas rápidas para informações de acordo com o setor de interesse, os serviços prestados para cada ambiente e diferenciais mercadológicos”, reforça o executivo.

Qualquer pessoa pode navegar pelos ambientes de inovação, basta acessar o endereço www.land2land.com.br e clicar em cada ícone do mapa para ler mais sobre as características de cada um. Quem desejar interagir com os habitats de inovação, porém, precisa de um login, que pode ser solicitado mediante preenchimento e envio de um formulário de dados. As empresas nacionais e estrangeiras que procurarem a plataforma serão direcionadas aos centros de inovação mais adequados ao seu perfil de negócio.

Na visão do diretor do Cietec, Sérgio Rizzola, a plataforma facilitará o intercâmbio de informações entre os principais centros de inovação do mundo, algo ainda pouco praticado por boa parte dos ambientes brasileiros. “Apesar de aberto e receptivo a novos integrantes, os parques e incubadoras terão de aplicar um processo seletivo criterioso para avaliar as empresas candidatas já que, pelo menos no Brasil, expandir as áreas físicas dos parques já instalados é um desafio que cresce a cada dia”, afirma.

Roberto Moschetta, diretor do parque Tecnopuc, de Porto Alegre, vê a plataforma como uma grande oportunidade para a formação de joint ventures e aponta como principal desafio convencer as pequenas a apostarem em novos mercados. “As startups de tecnologia já nascem com essa visão global, nas demais áreas ainda é preciso aplicar um processo de aculturação”, diz.

 

Fonte: Valor Econômico

atomics-beta

Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO