A relação entre o mercado financeiro e os seus clientes vem se estreitando pelas inúmeras possibilidades de realizar transações e coletar dados através dos dispositivos móveis. Enquanto os bancos se esforçam para montar estratégias para se relacionar com um público mais digital e que está procurando comodidade e facilidade, as startups já nasceram com produtos inovadores sob medida para cada usuário. Isso exige dos bancos novas medidas para melhorar os processos operacionais por meio da tecnologia.

No post de hoje, apresentamos algumas tendências e tecnologias de automação em bancos financeiros que você não pode ficar de fora. Fique de olho nessas dicas!

Blockchain

É a grande aposta dos bancos. Os blockchain permitem realizar transações peer-to-peeer com transparência e confiança, tornando-se útil para várias transações que requerem um registro comum, como pagamentos, seguros e demais aplicações.

Segundo relatório recente da Deloitte, os blockchain apresentam três características fundamentais que os tornam uma tecnologia desejável: tornam as transações irrevogáveis, aumentam a precisão dos registros e simplificam processos de back office.

ebook-panorama-mercado-bancario-nacional-internacional

Ao contrário de outros sistemas, o registro gerado pelo blockchain é criptografado e distribuído, o que impede que fraudes sejam feitas nas carteiras de clientes. Além disso, provêm de um único ledger, acessível a todas as partes, onde o software é rodado. Neste artigo nós explicamos o que é o blockchain e como ele pode ser usado, confira:

Blockchain: saiba o que é e como pode ser usado pelos Bancos

Automação de processos

Fica difícil sobreviver ao novo mercado financeiro, com novas tendências adotadas pelas fintechs, sem a automação dos processos. Aprimorar recursos de BackOffice e outros serviços que possam melhorar a experiência do usuário é o grande diferencial.

Num mercado cada vez mais competitivo, tornou-se uma condição fundamental reduzir custos e procurar soluções que possam ser aplicadas para facilitar a vida do cliente e tornar a experiência no ambiente virtual mais simples e facilitada.

Identificamos algumas dúvidas sobre a Tecnologia OCR e a sua utilização na automação de processos internos de Instituições bancárias. Criamos um eBook sobre este assunto para ajudá-lo a automatizar alguns processos. Faça o Download gratuito neste link: O que é o OCR e quais as vantagens para as Instituições Financeiras

 

Os 5 principais desafios dos processos no setor financeiro

Computação cognitiva

Apesar do termo ser relativamente novo, a computação cognitiva promete mudar a forma como a informação é tratada. Com ela, computadores terão a capacidade de processar informações e de aprender de forma orgânica, semelhante ao cérebro humano – sem que cada procedimento precise ser programado.

A computação cognitiva poderá ser usada, por exemplo, para auxiliar investidores indecisos quanto ao tipo de aplicação que deseja realizar. O computador, com seus dados, vai avaliar seu perfil e levar em conta também se aquela é uma pessoa mais conservadora ou propensa a aceitar riscos. A partir dessa análise, ele poderá indicar opções, com suas várias probabilidades de sucesso, tendo como base evidências reais, como bolsa de valores, poupança, entre outros.

 

Mobile banking

Os grandes bancos sabem que inovação é a palavra de ordem para sobreviver e acompanhar as novas tendências do mercado financeiro. A questão não é mais simplesmente prestar o serviço, mas garantir que o ambiente digital esteja estritamente integrado ao sistema bancário. O cliente quer realizar movimentações aonde estiver e, além disso, quer que suas informações fiquem seguras, livres de ameaças e riscos de fraudes.

Segundo pesquisa realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o comportamento dos clientes mudou com a possibilidade de realizar suas transações através do ambiente virtual – principalmente com a utilização do smartphone. E a opção mobile banking vem conquistando seu espaço. De 2014 e 2015, as transações feitas por meio de dispositivos móveis aumentaram 138%, passando de R$ 4,7 bilhões para R$ 11,2 bilhões. Sugerimos também a leitura deste artigo, sobre como o mobile banking e as fintechs estão mudando os hábitos de consumo.

 

Big Data

Conhecer o perfil e o que o cliente espera dos serviços bancários é a forma mais assertiva de impactá-lo e conquistá-lo. Por meio de ferramentas de Big Data Analytics é possível coletar e armazenar informações sobre os hábitos de investimentos e gastos dos clientes e criar experiências personalizadas que atendam diretamente determinado perfil.

 

Gostou do nosso post? Leia agora sobre Fintechs: tudo o que você precisa saber sobre eles!

atomics-beta

Cadastre-se

RECEBA AS NOVIDADES SOBRE TECNOLOGIA E MERCADO BANCÁRIO